Residências artísticas

 

XI TSONAMI Arte Sonoro (Valparaíso, Chile, 2017)

Artista selecionado (como DUO b) para a Residência de Criação 2017, com o projeto Criando Monstros, que propôs a criação de paisagens sonoras ficcionais futuras para espaços específicos da cidade de Valparaíso. A residência resultou em três obras site specific, a intervenção urbana Resiliência, a instalação Bosque Hipótese e a ação de escuta Entremudas.

Convocatória TSONAMI 2017TSONAMI 2017
Registros de processo (blog)

 

Colaboração artística no Programa de Residência Artística da Casa das Caldeiras (São Paulo, 2017)

Artista convidado (como DUO b), para colaborar com os artistas residentes Cristian Espinoza (Chile) e Lucas Ero (Belo Horizonte, MG).

O processo de criação coletiva concebido por Cristian Espinoza resultou em uma série de ações em espaços públicos e também em instalações que serão apresentadas na Mostra Tempo Forte em março de 2018. Em parceria com Lucas Ero, por sua vez, foi produzida a instalação audiovisual imersiva Ninfas.

Corredor Eletromagnético Paulista (Catálogo)
Ninfas (Lucas Ero + DUO b)

 

Programa de Residência Artística Casa das Caldeiras (São Paulo, 2016)

Artista selecionado (como DUO b) com o projeto de pesquisa Volátil, que investigou as propriedades acústicas do edifício histórico da Casa das Caldeiras buscando identificar seu potencial uso como uma máquina de edição de  áudio. Como resultado final, a escultura sonora 3.3.3.1 foi apresentada na Mostra Tempo Forte, em setembro de 2016.

Ao longo da residência, Marcelo Bressanin e Pedro Ricco colaboraram com outros artistas residentes na criação das trilha sonoras de duas outras obras:  a performance A noiva, de Carolina Sudati, e o espetáculo de dança Underneath -1, de Mariana Molinos e Felipe Teixeira.

Underneath -1 (Mariana Molinos e Felipe Teixeira, trilha sonora DUO b)
Noiva: Estudo para concurso I (Carol Sudati, trilha sonora DUO b)

 

Rural.Scapes lab_Res2015

Projeto selecionado para a residência Rural.Scapes, DDP – Diferença de Potencial resultou em uma instalação sonora site specific desenvolvida pelo DUO b a partir da pesquisa em torno dos circuitos hídricos da região de São José do Barreiro. Observando as características do relevo e dos sistemas hídricos locais, bem como técnicas atuais ou históricas para armazenamento, distribuição e uso da água, em contextos urbanos ou rurais, os artistas construiram uma instalação sonora empregando materiais da região.

O trabalho desenvolvido contou com o acompanhamento da crítica e curadora Ananda Carvalho (video e texto crítico no link).

DDP_Diferença de Potencial (DUO b, Rural.Scapes 2015) 

 

Obras

 

Trilhas

“Trilhas” (2018) é uma instalação sonora imersiva e espacializada em seis canais, criada a partir do acervo de áudio do Museu Ferroviário Regional de Bauru e de entrevistas com ferroviários. A obra foi exposta em abril de 2018 no carro de primeira classe da antiga Noroeste do Brasil, restaurado pela equipe do Museu.

Trilhas (vídeo)

 

Jardim de Sinais Errantes (Casa das Caldeiras, 2018)

“Jardim de Sinais Errantes” é uma instalação sonora site specific criada por Cristian Espinoza, DUO b (Marcelo Bressanin e Pedro Ricco) e Flavia Laudado, como parte das ações do projeto “Corredor Eletromagnético Paulista”. A obra consiste em seis antenas pendulares que captam sinais eletromagnéticos e os converte em sons, além de uma antena equipada com flashes fotográficos acionados automaticamente e que interferem no sistema ao gerar pequenos pulsos eletromagnéticos. A instalação, realizada ao longo do programa de residência artística da Casa das Caldeiras, em 2017, foi apresentada na mostra Tempo Forte, em março de 2018.

Jardim de Sinais Errantes (vídeo)
Jardim de Sinais Errantes (fotos)

 

Bosque Hipótese (Parque Cultural de Valparaíso, Chile, 2017)

Bosque Hipótese é uma instalação sonora site specific multi-canal realizada por DUO b (Marcelo Bressanin e Pedro Ricco) durante a Residência de Criação do XI Festival TSONAMI, em 2017. A obra dialoga com o projeto paisagístico do Parque Cultural de Valparaíso e propõe imaginar sonoridades futuras para o bosque de jacarandás implantado no processo de revitalização do local.

Bosque Hipótese (vídeo)
Bosque Hipótese (fotos) 

 

Resiliência (Barrio Puerto, Valparaíso, Chile, 2017)

O patrimônio arquitetônico em ruínas e as expectativas da população em sua ânsia ingênua rumo ao processo de gentrificação: eis o Barrio Puerto. Influenciados pela situação aparentemente mais favorável dos bairros turísticos de Valparaíso, os habitantes e frequentadores do local, quando entrevistados, o definem como um bairro morto, sem futuro. E, por isso, todos parecem esperar por um “anjo” disfarçado de progresso que seja capaz de restaurar o passado áureo da região.
Em Resiliência, uma caminhada com fones de ouvido sem fio desenvolvida na Residência de Criação do XI Festival TSONAMI, Marcelo Bressanin e Pedro Ricco propõem uma experiência de escuta e de observação da paisagem que sugere um futuro mais nebuloso para aquela vizinhança.

Resiliência (vídeo)
Resiliência (fotos)

 

Entremudas (Porto de Valparaíso, Chile, 2017)

Várias espécies animais trocam suas peles – exoesqueletos – ao longo de seu processo de crescimento, em um fenômeno chamado de “muda” ou “ecdise”. Ao intervalo entre tais mudanças se dá o nome de “entremuda”. Da mesma maneira, as cidades renovam suas superfícies de tempos em tempos, sobrepondo camadas espaciais e de memórias ao longo dos tempos. Em Entremudas, uma ação de escuta concebida na Residência de Criação do XI Festival TSONAMI, DUO b explora sonoramente as possíveis trocas de pele de Valparaíso em uma peça sonora apresentada ao público a bordo de um bote em alto mar, voltado para a paisagem da cidade.

Entremudas (vídeo)
Entremudas (fotos)

 

Campo Sonoro (Casa das Caldeiras, São Paulo, 2017)

Instalação sonora site specific desenvolvida por Cristian Espinoza, Flavia Laudado e DUO b (Marcelo Bressanin e Pedro Ricco). Composta por antenas, circuitos amplificadores e alto-falantes, a obra é uma das ações do projeto “Corredor Eletromagnético Paulista” e traduz em sonoridadades as ondas eletromagnéticas captadas no espaço da Casa das Caldeiras.

Campo Sonoro (fotos)

 

Ninfas (Casa das Caldeiras, 2017)

Criada a partir das pinturas de Lucas Ero (artista selecionado para o Programa de Residência Artística da Casa das Caldeiras 2017), Ninfas é uma instalação imersiva concebida colaborativamente pelos três artistas e composta pelo diálogo entre máquinas eletro-mecânicas controladas digitalmente e uma ambientação sonora concebida por Marcelo Bressanin e Pedro Ricco (DUO b).

Ninfas (vídeo)
Ninfas (fotos)

 

Tempestade (Casa das Caldeiras e Oficina Cultural Pagu, 2016)

Tempestade,  instalação imersiva premiada pelo edital PROAC 2015 – Artes Integradas e que reúne Marcelo Bressanin e Pedro Ricco (DUO b), Mateus Leston, Victor Leguy e JpAccacio, com acompanhamento crítico de Ananda Carvalho.  A instalação foi concebida e criada coletivamente pelos artistas ao longo de dez meses de pesquisas e  foi apresentada na Casa das Caldeiras (São Paulo) e na Oficina Cultural Pagu (Santos, SP), em novembro de 2016.

Tempestade (vídeo)
Tempestade (fotos) 

 

Fluente (SESC Santos, FILE 2015, Redbull Station, 2015)

Performance sonora elaborada por Marcelo Bressanin e Pedro Ricco (DUO b) e JpAccacio. Ao longo da projeção de um filme abstrato composto por diversas imagens e sons de água em movimento, os artistas criam ao vivo uma segunda camada de sonorização manipulando sensores de movimento e recipientes com gotejadores de líquido.

Fluente (vídeo)
Fluente (fotos)

 

Tapes  (SESC Belenzinho, 2015)

Tapes é uma performance audiovisual de Marcelo Bressanin e Pedro Ricco (DUO b) e se constitui pela manipulação em tempo real de cinco faixas de tecido cuja oscilação é produzida pelo acionamento de ventiladores.  Tais variações nos elementos cenográficos são captadas por sensores de movimento (kinect) que reconhecem os padrões de movimento dos tecidos e produzem cinco fluxos distintos de sinais digitais, empregados para a edição do áudio pelos artistas.

Tapes (fotos)

 

Bio

 

Go top